Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

GAMERS PARADISE

GAMERS PARADISE

Análise - Project: Snowblind

hogwart, 07.03.05

projectsnowblind_capa.jpg

Project: Snowblind


Plataformas: Xbox / PS2 / PC prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />


Género: Acção / Shooter / Primeira Pessoa


Lançamento: Já disponível


Desenvolvimento: Crystal Dynamics


Editora: Eidos Interactive


Site oficial: http://www.projectsnowblind.com/


No mês em que estão para sair alguns dos candidatos a melhor jogo do ano, pelo meio aparecem e vão aparecer jogos como este Project Snowblind que não sendo um prodígio a nível técnico não deixa de ter o seu encanto.


Estamos em Hong Kong, ano 2065, e controlámos o 2º Tenente Nathan Frost que pertence a uma força de nome Coligação da Liberdade. Até aqui nada demais até ao ponto que somos atingidos por uma explosão e que vai mudar a nossa vida. "Vítima" de uma experiência científica, o nosso personagem é submetido a uma cirurgia que o transforma num Super-Soldado com capacidades para além das normais num ser humano.


Muito cliché é verdade mas não deixa de ter o seu interesse.


Quando tomámos contacto com o jogo algo nos vem à mente...temos aqui uma mistura de Timesplitters (jogabilidade) e Deus Ex (história e ambiente).


projectsnowblind_1.jpg

E que mistura...assim que começamos a jogar começamos a ver o quão aditivo e intenso o jogo consegue ser por todo o ambiente de guerra criado e pela extrema facilidade a que nos habituámos aos controlos de jogo.


Graficamente o jogo não traz novidades de maior mas não deixa de ser apelativo com bastantes detalhes agradáveis.


A nível sonoro, o voice acting está muito bom com todos os personagens a terem sempre algo a dizer quando os abordámos ou simplesmente passámos por eles. Destaque para algumas cut-scenes que mostram os nossos inimigos a cantarolar músicas conhecidas...hilariante!


Mas este não foi um jogo criado para se destacar a nível técnico, leia-se gráfico e sonoro, mas sim na sua história, jogabilidade e Inteligência Artificial.


Neste último caso podem contar com inimigos que logo que nos detectem, se agrupam e fazem uma autêntica caça ao homem. Quando não acontece isso e se eles estiverem sozinhos, eles vão despoletar o alarme e logo a seguir somos brindados com alguns "amigos" para nos entretermos.


projectsnowblind_2.jpg

Para nos defendermos destas e outras ameaças contámos com um dos maiores arsenais e com uma das melhores escolhas de armas alternativas já visto num FPS.


Depois que foi submetido à cirurgia, o nosso herói passou a contar com alguns poderes que lhe conferem uma supremacia sobre os outros humanos e que muito vão ser úteis na nossa jornada.


Entre eles podemos contar com a já habitual visão nocturna, passando por um escudo anti-balistico e pelo meu favorito Bullet-Time que neste jogo te outro nome e que em determinadas situações é mesmo fundamental.


É claro que não há bela sem senão e tudo isto consome parte da energia que temos disponível para uso destes poderes.


projectsnowblind_3.jpg

O nosso arsenal passa por Pistolas, Carabinas, Metralhadoras, Sniper Rifles, Lança-Rockets entre outros e as já habituais granadas convencionais, de fumo e de descarga eléctrica. Tudo isto muito fácil de mudar durante a acção com um sistema de menu parecido com o que encontrámos nos Metal Gear Solid.


Mas entre estas armas existe uma que traz um divertimento acrescido e que se chama Icepicker. E o que faz esta "arma"? Depois de disparada contra certos painéis ou contra alguns inimigos, neste caso, robots parecidos com aqueles "sapos" gigantes do Robocop, ela permite fazer um hack ao sistema e passámos a controlar esses robots ou câmaras de vigilância ou até mesmo metralhadoras suspensas. Devastador!!!


Outra das possibilidades do jogo é a de podermos controlar alguns veículos, armados ou não, para podermos passar mais facilmente certas zonas.


projectsnowblind_4.jpg

Mas é na vertente online que este jogo adquire a sua verdadeira essência, contando com muitos modos de jogo e com garantidas horas de divertimento.


Como já dito atrás, o jogo não é um prodígio técnico mas dentro do género é um daqueles que diverte e que faz com que o queiramos acabar o mais depressa possível.


É com certeza um dos títulos que vai passar ao lado de muitos mas que merece que olhem para ele atentamente.


Perde por ter concorrentes como Halo 2, Star Wars Republic Commando, Doom 3 entre outros.


Mesmo assim, parabéns à Eidos e à Crystal Dynamics.


Uma curiosidade...ao termo SnowBlind, neste jogo foi atribuído o seguinte significado:


"Interrupção de todos os sistemas internos eléctricos e Biomecânicos geralmente criada por uma explosão magnética ou similar distúrbio eléctrico nas redondezas. Deixa os Bio-Soldados temporariamente vulneráveis a ataques."


Gráficos: 8,5


Som: 9


Jogabilidade: 10


Longevidade: 8 (10 na vertente online)


Total: 8,5


Analisado por: AnimeMatrix